banner laranjeirasfm
BASTIDORES

Membros da CPI da Saúde protegem Amazonino para a futura eleição

O ex-governador Amazonino Mendes e o senador Eduardo Braga, são os grandes influenciadores por trás dos deputados da oposição

Corredores do Poder

Corredores do PoderAs principais informações e análises sobre os bastidores da política do Amazonas e de Brasília.

27/07/2020 09h11
Por: Eduardo Menezes

Aliados do ex-governador Amazonino Mendes (Podemos), representantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, realizam seus trabalhos de forma parcial. Os deputados da oposição governamental, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE/AM), deputado Josué Neto (PRTB), e os colegas de Parlamento, como Wilker Barreto (Podemos), Dermilson Chagas (Podemos) e Delegado Péricles (PSL), foram instruídos pelo ex-governador Amazonino Mendes (Podemos) e o senador Eduardo Braga (MDB) a acelerar o processo de impeachment do governador do Estado, Wilson Lima (PSC), e impor a instalação de Comissões Parlamentares de Inquéritos (CPIs) da Saúde e Educação para influenciar o Judiciário.

De acordo com os deputados, o objetivo das CPIs é investigar os gastos com a Saúde e Educação no estado do Amazonas, porém não passa de questões pessoais e fins eleitorais. No momento de pré-candidatura, os parlamentares, estão usando a CPI da Saúde para promover o ex-governador, manchando a imagem dos seus adversários.

Péricles executa os trabalhos ao lado do deputado estadual Wilker Barreto, principal aliado e estimulador da candidatura de Amazonino Mendes a prefeitura de Manaus nas eleições deste ano. O suposto interesse do delegado em não investigar a gestão da saúde na época de Amazonino (governo-tampão 2018), é justamente para não causar nenhum impacto negativo na possível candidatura do cacique.

Como o Laranjeiras News apresentou, na última administração de Amazonino, o então secretário de Saúde (Susam) e amigo pessoal do ex-governador, Francisco Deodato, dispensou 55 processos de licitação na pasta, totalizando o valor de 27 milhões (a maioria oriunda de verba federal) para empresas suspeitas de “apadrinhamento” por serem ligadas a parlamentares. No mesmo período, Amazonino não prestou contas da utilização de R$ 1 bilhão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) na Secretaria de Educação (Seduc). Não há informações de que a PF investigou os casos.

Atualmente, Amazonino se apresenta à frente em todas as pesquisas, mas possui fortes adversários, como o ex-governador interino David Almeida (Avante), deputado federal Capitão Alberto Neto (PRB) e o vereador Chico Preto (DC). Esses nomes possuem forte influência nas pesquisas realizadas.

Desta forma, a tão prometida CPI da Saúde trabalha de maneira seletiva e sem imparcialidade. O medo do “novo”, poderia está tomando conta dos parlamentares, e assim, estariam a qualquer custo, acusando-os sem provas concretas, não passando de falácias.

Os erros de condução

A evidência mais clara de proteção ao ex-governador, é a sede de investigar o atual governo esquecendo os anteriores. Com o histórico de corrupção na saúde, o normal seria investigar de trás para frente, não o oposto como está sendo feito.

Outro detalhe é investigar o atual governo, pular o governo de Amazonino Mendes e colocar sob suspeita as ações do governo de David Almeida, antes de Amazonino.

De qualquer modo, os paladinos da moralidade da CPI da Saúde, estão se perdendo em conceitos menores que o bem comum e se rendendo aos interesses escusos de mandriões do passado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.