Domingo, 26 de Junho de 2022
92 98468-7887
Política TRANSIÇÃO

Alessandra Campêlo tentará ser reeleita no pleito de 2022

A deputada deixou seu cargo na secretaria do governo

20/05/2022 16h33 Atualizada há 1 mês
Por: Leonardo Moreira

Alessandra Campêlo deixou sua cadeira na Secretaria da Assistência Social (Seas) no dia 31 de março deste ano para retornar a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), reassumindo seu mandato como Deputada Estadual.

“Em pouco mais de um ano de gestão, colocamos a Assistência Social em evidência com a ampliação das ações, projetos, programas e serviços voltados ao atendimento da população em situação de vulnerabilidade. Foram quatro anos em um”, disse Campêlo agradecendo a vaga cedida pelo governador Wilson Lima (UB) na Seas.

A Justiça Eleitoral autoriza os deputados estaduais a tentarem se reeleger, não precisando se afastar do cargo, mas exige que não esteja ocupando cargos públicos meses antes das eleições. No caso de membros da Casa Legislativa Estadual, precisam se desvincular seis meses antes do pleito. O prazo para desincompatibilização foi encerrado no dia 2 de abril deste ano.

Filiação

No dia 31 de março, mesmo dia em que saiu da Seas, Alessandra anunciou sua desfiliação do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) para entrar no Partido Social Cristão (PSC). “É tempo de mudança e novos desafios pelo desenvolvimento do Amazonas!”, publicou nas redes sociais.

Com isso, o MDB, do Senador Eduardo Braga, perde mais um membro. Fausto Júnior, deputado estadual, e Gedeão Amorim, ex-vereador foram outros que deixaram a sigla.

Promoção

Ressaltando que Campêlo, mesmo afastada das atividades da Polícia Civil (PC) devido ao seu mandato como deputada estadual, foi promovida ao cargo de “Escrivão 2ª classe P/1”

De acordo com uma fonte policial que não quis se identificar para não sofrer represália, a promoção “por antiguidade” é para quem está atuando, quem está na ativa. “Promoção por antiguidade é para quem está atuando, coisa que ela não faz mais. Ela acaba prejudicando uma promoção que deveria ser para um policial da ativa porque vão dar pra ela”, contou.

Confira o Boletim Interno de Comunicação:

Vale lembrar que a deputada iniciou na política em um partido comunista e hoje se encontra em um totalmente conservador. Isso seria sua vontade própria ou ela seria uma “Maria vai com as outras”?

Homenagem

A deputada ganhou do irmão, Allan Campêlo (PSC), vereador da Câmara Municipal de Manaus (CMM) um projeto de lei (PL), Nº 007/2022, para lhe conceder a “Medalha de Ouro Cidade de Manaus”. O projeto foi aprovado e promulgado depois da última movimentação, no dia 23 de março.

Confira o Projeto de Lei:

Vida Política

Ingressou na política ainda quando cursava jornalismo na Ufam. Se filiou ao Partido Comunista do Brasil (PC do B) em 1996.

Após aprovação, foi lotada na Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) em 2001. Foi assessora de comunicação no Gabinete da Deputada Federal Vanessa Grazziotin (PC do B).

Atuou como assessora parlamentar do Deputado Estadual Eron Bezerra (PC do B) de 2002 a 2006. Foi coordenadora do Departamento de Eventos da Secretaria de Produção Rural (Sepror) no ano de 2007.

Perfil

Alessandra Campêlo da Silva, 40 anos de idade, mais de 25 anos de carreira política, é jornalista graduada pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Atualmente está se especializando em Gestão Governamental pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.