Sábado, 25 de Junho de 2022
92 98468-7887
Política INVESTIGAÇÃO

Operação Sangria: STJ pretende ouvir 126 pessoas em quatro dias

A intenção é apurar a compra de respiradores com preço superfaturado pelo Governo do AM

20/05/2022 15h33 Atualizada há 1 mês
Por: Thaís Ramos

Em decisão proferida na última quinta-feira (19), o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) visa ouvir 14 réus mais 112 testemunhas na Operação Sangria que apura a compra de respiradores superfaturados pelo Governo do Amazonas durante a primeira onda da Covid-19. A decisão foi do ministro Francisco Falcão, relator do caso.

O ministro, além de ter aceitado a oitava de mais de oito testemunhas, seguindo o que está previsto no Código de Processo Penal, ele solicitou que a Polícia Federal (PF) faça pericia nos computadores da Secretária de Saúde do Amazonas.

Falcão decidiu que as audiências serão na sede da Justiça Federal do AM e que serão iniciadas no dia 28 de junho, às 9h30 pelo juiz Leandro Cadenas Prado. Nesse dia, serão ouvidas 26 pessoas indicadas por cinco réus; no dia 29 mais 19 depoimentos serão escutados por seis implicados na operação.

40 depoimentos serão ouvidos no dia 30, esses indicados por apenas três réus, e no último dia de audiência, serão colhidos 27 depoimentos que foram apontados por três implicados. Além disso, os 14 réus serão ouvidos no dia 1° de julho.

Para levar em consideração a quantidade de testemunhas, acima do que prevê o Código de Processo Penal, o ministro levou em consideração: “a complexidade da causa, a multiplicidade de imputações e a pluralidade de acusados”.

O ex-secretário de saúde, Rodrigo Tobis, havia solicitado a realização de uma perícia nos computadores dos servidores, sendo assim, o ministro determinou que a PF vá à Secretaria de Saúde do AM para realizar o processo em cinco dias.

“Oficie-se à Superintendência da Polícia Federal do Estado do Amazonas, com cópia da petição de fls. 8779 e seguintes, para que viabilize a diligência, em 5 dias, com a participação da autoridade policial responsável pelas investigações, com juntada das conclusões a estes autos em 10 dias”, informa um trecho da decisão.

As audiências serão feitas de forma presencial e por videoconferência.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.