Quarta, 18 de Maio de 2022
92 98468-7887
Saúde CORONAVÍRUS

Nova onda covid-19

Uma nova variante circula no mundo

13/05/2022 15h05 Atualizada há 4 dias
Por: Andreia Souza

Os países asiáticos são os que mais sofrem com o surto de pandemia pelo novo coronavírus. Xangai, a cidade mais populosa da China, registrou recorde de casos em um único dia. Mesmo o governo adotando lockdown e medidas restritivas, as contaminações estão aumentando no país.

Xangai se tornou o epicentro do maior surto da China desde que o vírus foi identificado pela primeira vez em Wuhan no final de 2019 e registrou mais de 320 mil infecções por Covid-19 desde o início de março, quando a onda teve início.

Desde o dia 10 de março deste ano, as autoridades locais realizaram mais de 200 milhões de testes para a doença na cidade, em uma tentativa de controlar o maior surto de Covid visto na China desde a descoberta do vírus em 2019.

A Coreia do Norte, enfrenta pela primeira vez a pandemia ocasionada pela Covid-19. De acordo com o governo local mais de 187 mil pessoas estão em isolamento sob suspeita de infecção pelo coronavírus.  A primeira morte foi confirmada pela doença nesta sexta-feira (13) e outros seis estão em investigação.

Na quinta-feira (12), a Coreia do Norte reconheceu o surto de Covid e após esse anúncio a primeira morte foi confirmada pela doença.

O líder supremo do país, Kim Jong-um ordenou que o pais ficasse em confinamento e estão desde 2020 fator que derrubou a economia do país. Fábricas, estabelecimentos comerciais e residências devem permanecer fechados e reorganizados para "bloquear de maneira impecável a propagação do vírus maligno", informou a agência estatal.

Quando o mundo estava sofrendo por causa da pandemia, a Coreia do Norte expressou orgulho de ter mantido o vírus fora de suas fronteiras.

Vacina

Doses de vacinas foram ofertadas ao país pela Organização Mundial da Saúde (OMS), da China e da Rússia, no entanto, não se tem informações concretas se a população daquele país foi imunizada por esse vírus letal. A população da Coreia do Norte é estimada em 25 milhões de habitantes.

Nenhum sistema de saúde no mundo, estava preparado para enfrentar o surto de covid, e como o país é isolado não se sabe a real situação que a Coreia do Sul enfrenta.

A Coreia do Norte faz fronteiras com diversos países que enfrentam surtos ocasionados por variantes da ômicron, como Coreia do Sul e China, onde estão em confinamento há várias semanas.

No Brasil

Dados divulgados na quinta-feira (12), informam que foram registrados 125 mortes e 21.344 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).

Os números não constam com os dados de Acre, Amapá, Piauí e Roraima que passaram por problemas técnicos em sua base de dados. A média móvel de mortes está em 106. Já a média de móvel de casos chegou a 16.420.

Desde o início da pandemia o país registrou 30.639.130 casos e 664.641 mortes por Covid-19 desde o início da pandemia, em março de 2020.

No Amazonas

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-RCP) emitiu um Comunicado de Risco, informando dois casos de Covid-19 pela subvariante BA.2 da ômicrom (SARS-CoV-2), em Manaus. Informação da última quinta-feira.

Os novos casos de da subvariante BA.2, passaram pelos testes de detecção do tipo antígeno e à coleta de amostra nasofaríngea para processamento de RT-PCR e, em seguida, submetidas a sequenciamento genômico, no Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM). Trata-se de um homem e uma mulher, na faixa etária de 40 a 49 anos

Dados parciais do Programa Nacional de Imunização apontam que 6.990.145 doses foram aplicadas em todo o estado até esta quinta-feira (12), sendo 3.147.065 de primeira dose, 2.591.963 de segunda dose, 61.231 com dose única, 1.146.023 de 1ª dose de reforço e 43.863 de 2ª dose de reforço. A informação está disponível no site da FVS-RCP - www.fvs.am.gov.br.

Já está disponibilizado a 4ª dose do imunizante da covid-19. Para pessoas a partir dos 50 anos, desde que já tenham tomado a 3ª dose de qualquer imunizante a quatro meses ou mais.

Entramos em contato através de e-mail com a assessoria de comunicação na última terça-feira (10), indagando sobre uma possível nova onda de covid no Amazonas, se o estado já possui algum tipo de programa ou projeto para prevenir um novo surto. Se a imunização realizada no estado alcançou números satisfatórios.

E até o fechamento da reportagem nenhum dado foi enviado.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.