Segunda, 23 de Maio de 2022
92 98468-7887
Dólar comercial R$ 4,88 0%
Euro R$ 5,15 0%
Peso Argentino R$ 0,04 -0.011%
Bitcoin R$ 156.879,44 +3.622%
Bovespa 108.487,88 pontos +1.39%
Economia CASA PRÓPRIA

O sonho da casa própria deverá ficar mais caro em 2022

Financiamentos imobiliários devem ficar mais caros em 2022 diz ABECIP

11/01/2022 12h07 Atualizada há 4 meses
Por: Ricardo Xavier

Foto: MRV Engenharia - Divulgação

 

A casa própria sempre foi o sonho de muitos brasileiros, e em durante a pandemia da Covid-19, a procura por imóveis cresceu em comparação ao mesmo período do ano passado. A concessão de créditos deverá bater o seu recorde em 2022. Empréstimos com a finalidade de comprar ou construir imóveis, totalizaram R$206,9 bilhões considerando o acumulado de 12 meses. Isso representa um crescimento de 79,6 %, segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

 

Vale lembrar que, o aumento da taxa Selic aumentou, como forma de segurar a inflação, isso quer dizer que, quem deseja financiar um imóvel terá mais dificuldade no decorrer do ano. 

A taxa Selic é a taxa básica de juros da nossa economia, ela serve como referência para o cálculo da maioria dos juros. Com o aumento dessa taxa, todas as modalidades de crédito ficam mais caras, por outro lado, quando a taxa básica cai, as despesas dos bancos e das financeiras ficam mais leves, o que leva a uma oferta de crédito mais barata no mercado. A Selic saltou da mínima histórica de 2% ao ano no mês de março, para os atuais 9,25%. Com isso, os juros do crédito imobiliário subiram.

 

Comitê de Política Monetária (Copom) eleva Selic para 9,25%. Maior patamar em mais de 4 anos

 

Com juros altos, os consumidores terão que pagar mais caro pela moradia própria. Escolher imóveis com valores mais baixos é uma das opções. Para um empréstimo com 20 ou 30 anos para pagar, qualquer alta nos juros faz muita diferença

 

De acordo com a plataforma de crédito imobiliário MelhorTaxa, o Custo Efetivo Total (CET), que engloba os juros e demais taxas embutidas no financiamento, em média para o financiamento de um imóvel de R$ 375 mil cresceu de 7,59% ao ano, em janeiro, para 8,99% ao ano, em dezembro.

 

O mercado projeta que a taxa Selic chegará aos impressionantes 11,50% ao fim deste ano.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.