Quarta, 01 de Dezembro de 2021
92 98468-7887
Amazonas PERSEGUIÇÃO

Pesquisador do INPA relata perseguição e suposto envenenamento durante pandemia da Covid

Ferrante diz que começou a sentir um gosto estranho na água de casa, foi averiguar e encontrou pedaços de pilhas no encanamento. Meses depois, foi detectado um câncer na tireoide raríssimo em pessoas do sexo masculino.

25/11/2021 12h18 Atualizada há 6 dias
Por: Sadim Salatiel Fonte: Redação e Veja
Pesquisador do INPA relata perseguição e suposto envenenamento durante pandemia da Covid

O biólogo e pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Lucas Ferrante, de 33 anos, relatou em uma entrevista para a Veja no dia 12 de novembro as perseguições e ataques que sofreu após se expor publicamente contra o uso da hidroxicloroquina durante a pandemia da Covid-19 no Brasil.

Lucas é mestre em Ecologia e doutorando do programa de Ecologia do Inpa. O pesquisador participou de várias entrevistas e audiências no início da pandemia no Amazonas e apontou possíveis casos de negligência dos governos estadual e federal em medidas de contenção do vírus. Ele também faz parte do grupo de pesquisadores que previam a segunda onda do coronavirus no Amazonas.

Para a Veja, Lucas Ferrante disse que as primeiras intimidações chegaram pelo Twitter e pelo telefone. Ferrante diz que começou a sentir um gosto estranho na água de casa, foi averiguar e encontrou pedaços de pilhas no encanamento. Meses depois, foi detectado um câncer na tireoide raríssimo em pessoas do sexo masculino, ainda mais na idade dele. “Os médicos suspeitam que esteja relacionado à minha exposição a substâncias tóxicas”, explica o biólogo, hoje em tratamento.

Leia em Veja.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.