Quarta, 01 de Dezembro de 2021
92 98468-7887
Polícia CASO MIRELLA

Em Eirunepé Justiça determina a transferência de suspeito de estupro e morte de menina para hospital de custódia em Manaus

Antônio Sirlande Coelho da Silva estuprou e matou a própria enteada de 13 anos e foi preso em flagrante em frente de casa na quarta-feira do dia 17/11.

24/11/2021 16h49 Atualizada há 6 dias
Por: Hanna Rocha
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Antônio Sirlande Coelho da Silva teve a prisão preventiva decretada no último dia 18.

O juiz de Direito Jean Carlos Pimentel do Santos, respondendo pela Vara Única da Comarca de Eirunepé (distante 1159 de Manaus), autorizou na segunda-feira (22/11) a transferência de Antônio Sirlande Coelho da Silva para o Hospital de Custódia da capital. Antônio foi preso em flagrante no último dia 17 de novembro, suspeito de estupro de vulnerável e feminicídio, tendo como vítima uma menina de 13 anos.

A prisão em flagrante foi homologada e convertida em prisão preventiva e, posteriormente, o Delegado de Polícia Civil formulou pedido para que fosse autorizada a transferência do investigado para o hospital de custódia de Manaus/AM, tendo em vista que é iminente a sua alta hospitalar e a delegacia não possui estrutura para promover seu atendimento ambulatorial. O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM) se manifestou favorável à transferência.

“Ressalto que os crimes em apreço foram cometidos com extrema gravidade e crueldade, causando acentuado sentimento de revolta na população local. A repercussão midiática também foi enorme, tendo o caso sido veiculado em vários canais de comunicação. Ademais, é notório que a Delegacia local não tem estrutura para a manter o preso, além das questões de saúde do mesmo, é necessário prezar pela sua segurança, dos demais que estão segregados e dos servidores do órgão, afinal o detento despertou pujante revolta e indignação na população”, escreveu o magistrado em sua decisão, ao autorizar a transferência do preso.

O crime

De acordo com testemunhas que prestaram depoimento na Delegacia de Polícia de Eirunepé, por volta das 10h30 da manhã da última quarta-feira (17/11), a menina foi vista sendo arrastada pelos cabelos por Antônio e gritando por ajuda. O suspeito ultrapassou uma mureta em um terreno e, no local, teria desferido golpes de faca na menina, que foi encontrada logo depois sem vida. As testemunhas acionaram uma viatura da polícia que passava pelas proximidades.

Ao encontrar o corpo da adolescente, os policiais acionaram o hospital da cidade, que enviou uma ambulância para removê-lo. Ainda conforme os autos, médicos detectaram que além dos 20 ferimentos a faca, a menina também apresentava sinais de abuso sexual. Antônio Sirlande foi encontrado caído na calçada da residência dele com ferimentos a faca pelo corpo. Ele foi levado primeiro ao hospital da cidade para ser medicado.

Segundo moradores de Eirunepé a vítima já havia denunciado as investidas criminosas do padrasto contra ela para a própria mãe, mas a mesma não teria acreditado. Myrella então teria levado as denúncias até a professora e a direção da escola que estudava. Logo, a gestão da escola junto com pedagoga e professores teriam levado o relato ao conhecimento da mãe e a informaram que iriam acionar o Conselho Tutelar para apurar o caso. Na ocasião, a mãe teria negado as denúncias alegando que tanto ela quanto o padrasto saiam para trabalhar e por isso nada acontecia e que o relato de Myrella se tratava de “coisa de criança”. A mãe também teria intimidado a equipe da escola, sugerindo que se caso o pai da menina fizesse algo contra padrasto a direção da escola seria responsabilizada. Uma médica também teria tomado conhecimento pela própria criança, que também conversou com a mãe, que por sua vez, xingou a médica de louca.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.