Quarta, 01 de Dezembro de 2021
92 98468-7887
Amazonas TROCA-TROCA

Wilson Lima nega que afastamento de delegados tenha relação com a prisão de casal suspeito de matar sargento do Exército

Segunda a delegada-geral da PCAM as mudanças foram feitas por questão de oxigenação e tentativa de otimizar procedimentos e revelou que novos nomes devem ser anunciados na segunda-feira (25).

22/10/2021 14h45 Atualizada há 1 mês
Por: Hanna Rocha Fonte: G1 Amazonas
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O governador Wilson Lima disse, nesta sexta-feira (22), que a mudança dos delegados titulares da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) foi um procedimento comum da Delegacia Geral, que tem autonomia para mover equipes. Segundo ele, o afastamento dos delegados não tem relação com o andamento das investigações do crime envolvendo o casal dono do grupo Vitória Supermercados.

O casal de empresários Joabson Agostinho Gomes e Jordana Azevedo Freire foi preso por envolvimento na morte do sargento do Exército Lucas Ramon. Presos desde setembro, na quinta-feira (21), eles tiveram a prisão preventiva prorrogada por mais 30 dias.

A declaração do governador foi dada durante o lançamento de programas de monitoramento e entrega de equipamentos para a segurança pública. Lima estava acompanhado do secretário de Segurança, general Carlos Alberto Mansur, e da delegada-geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz Carvalho Moreira.

    "Essa é uma questão tratada pela nossa Delegacia Geral e pelas nossas forças de segurança e eles têm autonomia para adotar essas políticas para fazer as alterações que eles acham necessárias", explicou Lima.

A delegada-geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz Carvalho Moreira, também comentou a situação. Segundo a delegada, a mudança "é uma questão de oxigenação e tentativa de otimizar procedimentos".

Ela disse ainda que o nome dos novos titulares da Delegacia devem ser anunciados na segunda-feira (25).

Casal suspeito de crime

Na época das prisões, a delegada Marna de Miranda disse que se tratava de um crime passional. Segundo a delegada, o sargento tinha um caso com Jordana Freire, casada com o empresário Joabson Gomes. Ao descobrir a traição, ele teria mandado matar a vítima.

O crime aconteceu no dia 1° de setembro deste ano em uma cafeteria que pertencia à vítima. Câmeras de segurança registraram o momento que um homem entra no local e atira contra o sargento à queima roupa.

Concurso para a segurança pública

Durante a coletiva, o governador também disse que o concurso para a segurança pública deverá ser anunciado em novembro. Anteriormente, ele havia anunciado o edital do certame para este mês.

"Vai sair em novembro. Tem algumas mensagens que precisam ser aprovadas pela Assembleia para que possamos dar seguimento à contratação da banca e o lançamento do edital", finalizou.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.