Quarta, 14 de Abril de 2021
92 98468-7887
Amazonas CALAMIDADE

Em meio a crise da pandemia municípios do interior do Amazonas pedem socorro por conta das cheias dos Rios

Em Itamarati a cheia do Rio Juruá já alcançou a cota de 21,6 metros, trazendo prejuízos para cerca de 3,5 mil pessoas, deixando-as desabrigadas e sem recursos financeiros.

06/03/2021 13h47 Atualizada há 1 mês
Por: Lohana Fernandes
Foto: Divulgação/Sencom
Foto: Divulgação/Sencom

O município de Itamarati (a 985 quilômetros de Manaus), já é um dos mais afetados pela cheia do Rio Juruá no Amazonas este ano. De acordo com a Prefeitura, pelo menos 3,5 mil pessoas já foram afetadas na cidade do interior, situação que foi agravada pela pandemia, que dificulta a remoção de moradores e alojamento em espaços públicos.

Com o rio batendo a cota de 21,6 metros, a prefeitura de Itamarati espera que a cheia deste ano seja uma das maiores dos últimos anos. “Se não bastasse a crise sanitária provocada pela pandemia, a nossa dificuldade de combater e tratar a covid-19, agora nos debatemos em meio às águas que avançam nas ruas, desabrigando dezenas de famílias a cada dia. Nesse cenário não sabemos o que fazer: a alternativa de abrigar as famílias nos prédios públicos, como as escolas, contraria o nosso próprio decreto que recomenda o distanciamento social para conter a segunda onda da pandemia”, disse o prefeito João campelo.

De acordo com ele, 700 casas já estão completamente embaixo d’água e, apesar dos esforços, a prefeitura não consegue solucionar a situação sozinha. Ele garantiu que já buscou os parlamentares do Amazonas e até mesmo o governo do Estado para que o suporte necessário seja dado.

“Sem recursos financeiros, nem sabemos até quando teremos fôlego para fretar avião para o transporte de cilindros de oxigênio. Estamos certos de que a aglomeração das pessoas irá aumentar o contágio do coronavírus. Até o momento, não vemos sinal de apoio do Governo do Estado para o socorro das famílias atingidas por uma das maiores enchentes de todos os tempos”, lamentou Campelo.

Casos da Covid-19

O boletim diário de Covid-19 divulgado pela FVS-AM (Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas) registrou 57 mortes nesta sexta-feira, 5, por Covid-19 e confirma mais 2.355 novos casos da doença no Estado.

Do total de mortes, 24 ocorreram na quinta-feira, 4, e 33 em dias anteriores, mas só nesta sexta-feira, a FVS-AM teve a confirmação da causa da morte por Covid-19.

Dos 322.227 casos confirmados no Amazonas até esta sexta-feira, 149.184 são de Manaus (46,30%) e 173.043 do interior do estado (53,70%).

Com os números de hoje, o Amazonas tem 11.229 mortos por Covid-19 desde o início da pandemia, em março de 2020. A capital acumula mais de 70% dos óbitos: 7.970. Nos outros 61 municípios são 3.259 mortes pela doença.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.